Blog

Cresce número de fraudes no e-commerce

Cresce número de fraudes no e-commerce

Os riscos de fraudes para os consumidores que compram produtos pela Internet aumentaram no primeiro trimestre de 2016 na comparação com o mesmo período em 2015. De acordo com um levantamento realizado pela Fcontrol, empresa da PayU e especialista em soluções antifraude no comércio eletrônico, as tentativas de fraudes no e-commerce brasileiro cresceram 1,32%. A média de perdas efetivas ficou em torno de 0,33%, mesmo patamar do ano anterior, mas vale destacar que as transações diminuíram em cerca de 11%. As informações foram retiradas da sua base de clientes.

As categorias que mais sofrem com os crimes de falsificação no uso de cartões de crédito e débito nas vendas online são: ?Telefonia (Smartphones)?, ?Eletrônicos? e ?Games?. O levantamento também apontou o crescimento de fraudes no segmento de ?Cosméticos, Perfumaria e Suplementos?. O valor da fraude não é exato, mas a média gira em torno de 70% a mais que o tíquete médio das lojas (que neste período em 2015 foi de R$ 363 e no de 2016 subiu para R$ 409).

?Mesmo com a redução no número de transações no primeiro trimestre de 2016, os fraudadores continuaram aplicando golpes na mesma proporção do último ano. Por isso, investir em segurança da informação é a melhor solução para os lojistas evitarem ações fraudulentas?, explica Marcos Marins, CEO da PayU.

Fraudes no Brasil

A pesquisa também revelou que as regiões com maior concentração de fraudes são o Norte e Nordeste do Brasil, principalmente nos estados do Ceará (13,52%), Tocantins (13,42%) e Pará (7,78%). Ou seja, entre os pedidos realizados no primeiro trimestre de 2016 no Ceará, 13,52% foram tentativas de fraudes.

Nas regiões Sudeste e Sul, os índices de fraude giram em torno de 3,2%. Os estados de Minas Gerais (4,65%), Rio de Janeiro (3,37%) e São Paulo (2,82%) são os que mais sofrem com fraudes no Sudeste. No Sul, os índices atingem Santa Catarina (3,74%), Paraná (3,58%) e Rio Grande do Sul (1,11%), nesta ordem.

Fonte: (Redação – Agência IN)

Compartilhar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.