Blog

elo eleva participacao no mercado de cartao

Elo eleva participação no mercado de cartão

Visa e MasterCard ainda se mostram com a soberania do mercado, mas perdem marketshare com progresso da marca criada pelo Bradesco, Caixa e Banco do Brasil Elo eleva participação no mercado de cartão Elo ganha participação no mercado de bandeiras em crédito e débito.

A estratégia de ampliar a lucratividade dos bancos criadores da Elo impulsionou a participação dessa bandeira no mercado de cartões. A preferência pela Visa e MasterCard, no entanto, pode ser um desafio para a marca nacional. As informações são de uma pesquisa exclusiva da Consultoria Boanerges & Cia. Segundo o estudo, pela primeira vez na história as duas principais bandeiras Visa e MasterCard responderam por menos de 85% das transações com cartões de débito (84,7%) no último trimestre de 2015.

A concentração de mercado chegou a ser 97,2% entre Visa e MasterCard em 2011, um ano após a abertura do mercado de credenciamento, em 2010. Em relação à quantidade de cartões de débitos ativos, a participação dessas duas bandeiras também foi a menor da história, com 80%. No caso da Elo, o levantamento aponta participação de 17,9% nos cartões ativos e de 13,5% nas transações. Segundo Vitor França, consultor da Boanerges & Cia, a abertura da competitividade entre bandeiras e credenciadores mudou o aspecto do mercado e deu novas oportunidades aos bancos emissores, principalmente Caixa, Bradesco e Banco do Brasil, os criadores da recente Elo.

?Foi uma forma de atender tanto as exigências do órgão regulador sobre ter um arranjo de pagamento nacional, como a oportunidade de redução de custo desses bancos, uma vez que, como sócios da bandeira, o dinheiro que seria parte da Visa e Master, acaba voltando para eles?, explica França ao DCI. Dados do Banco Central apontam que desde 2013, quando a Elo começou a ganhar força no mercado, a bandeira mais do que dobrou o volume dos cartões de débitos ativos em 2015.

?Não tem preço? Em relação ao crédito, por sua vez, a pesquisa aponta que a concentração de mercado vem caindo de forma mais tímida, com a MasterCard ganhando cada vez mais espaço da líder Visa, com 44,5% e 46,8%, respectivamente, do total de transações (a diferença, de 2,3 pontos percentuais, também é a menor da história entre as duas concorrentes). Segundo França, em relação à Elo, o crédito ainda é um passo difícil a ser dado. ?Essa modalidade é mais lucrativa e movimenta outras linhas de crédito dos grandes bancos.

Nesse sentido, apesar de crescente, é visível a cautela dos emissores de entrar nesse segmento, já que não dá pra investir fortemente em uma bandeira que não está completamente inserida e não geraria o retorno esperado.? Apesar do proveito dos bancos em gerar lucro com uma bandeira nacional, no entanto, o desafio da Elo continua sendo fazer seus clientes utilizarem seus cartões. O volume de transações por cartão ativo ainda tem grandes diferenças quando comparadas as bandeiras. Visa e Master têm 18,9 e 16,7, respectivamente, de uso para crédito (contra 8,8 da Elo) e 19,5 e 19, na mesma ordem, de uso para cartões de débito (contra 13,6 da bandeira nacional).

?Temos buscado ampliar a oferta de produtos que consigam proporcionar uma experiência de alto nível para os consumidores, como a carteira digital Masterpass ou a plataforma ?Não tem Preço?, que oferece uma série de experiências exclusivas?, destacou o vice-presidente de produtos e soluções da MasterCard Brasil e Cone Sul, Valério Murta. Procurada pelo DCI, a Visa não quis se pronunciar.

Fonte: Notícias às 11:33 de 05/09/2016 em Mercado de Cartões

Compartilhar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.