Dinheiro digital no Brasil: como o Dash integrará com a Kamoney

Blog

Dinheiro digital no Brasil: como o Dash integrará com a Kamoney

Dinheiro digital no Brasil: como o Dash integrará com a Kamoney?


Do que o Brasil precisa hoje? O que o brasileiro quer não é só praticidade na hora de pagar. O brasileiro é o povo que paga a taxa mais alta de juros do cartão de crédito no mundo. Por isso, o dinheiro digital no Brasil chegou em boa hora. 

Veja só esses números colhidos no ano passado. Segundo um levantamento da Proteste com base em dados dos bancos centrais de diversos países, a média anual da taxa do rotativo — aplicada quando se paga o mínimo da fatura do cartão — era de 352,76%, enquanto em países da América Latina não atingia nem 50% ao ano. Já em 2018, considerando os cinco principais bancos do Brasil, a média chega a 231% ao ano, segundo uma pesquisa feita por Filipe Pires, professor do MBA em Finanças do Ibmec.

Em segundo lugar no ranking das mais altas taxas do cartão fica a Argentina com média de 53,20%. A nova integração do Dash com a Kamoney fará a diferença no mercado financeiro. Isso pela praticidade e o mais importante, as taxas insignificantes. Esta é a possibilidade do uso real deste mecanismo no dia a dia.

Não deixe de ler também. Libra e Facebook: 10 fatos principais que você precisa saber


O futuro incerto das criptomoedas

Dinheiro digital no Brasil: como o Dash integrará com a Kamoney

O futuro das criptomoedas tem relação direta com a alta qualidade da experiência do cliente. Por isso, a eliminação do descontentamento com as taxas e o pouco suporte ao cliente é um passo importante para que os consumidores entendam as vantagens do dinheiro digital se comparado aos métodos tradicionais.


Como a Kamoney é uma plataforma de pagamentos que usa Bitcoin e outras 12 criptomoedas permitindo efetuar transferências e pagamentos de faturas de forma on-line e sem precisar de conta bancária, o Dash se encaixa perfeitamente. Foi percebido uma falta de liquidez para as criptomoedas no mercado. Assim, esta plataforma nasceu com o objetivo de oferecer uma oportunidade real e inovadora para o uso das moedas virtuais efetivamente encobrindo essa falha.

O desenvolvimento do Dash


Se deu cumprindo o objetivo de oferecer transações públicas e privadas (InstantSend e PrivateSend). Desta forma está focada na privacidade, velocidade, segurança, escalabilidade e auto governança. Como concorrência, a meta é vencer e tomar o lugar da PayPal dentro da economia digital. A única diferença é que isso é feito de forma descentralizada.


Apesar de muitos estabelecimentos ainda não aceitarem o dinheiro digital como forma de pagamento, ele está ganhando cada vez mais adeptos no Brasil. A Kamoney cobra apenas aproximadamente 4% para os comerciantes aceitarem criptomoedas. Esse montante é menor que a taxa média de 7% do cartão de crédito comumente cobrada por aqui.

Uma possibilidade inovadora 

Dinheiro digital no Brasil: como o Dash integrará com a Kamoney

Assim como o Ethereum, Litecoin, Monero, Zcash, Decred, o Dash é uma possibilidade inovadora  de pagamentos on-line de contas de consumo e boletos bancários para o país inteiro. É interessante ressaltar também que foram as falhas do Bitcoin que levaram ao desenvolvimento do Dash.


Essas falhas são desde um limite de tamanho de bloco que reduz o tempo de processamento das transações até um período de criação de blocos de 10 minutos prejudicial ao uso de transações pelos consumidores. O Dash chegou cheio de qualidades como uma equipe de desenvolvedores e analistas focados em tempo integral, privacidade nas transações, os proprietários dos Masternodes recebem um pagamento pelo seu trabalho, transações instantâneas InstantSend e PrivateSend, além da facilidade de uso. Com código aberto e foco na privacidade, o consumidor consegue manter a segurança das suas finanças enquanto realiza transações rápidas semelhantes ao dinheiro vivo.

Isso também vai te interessar.3 dicas indispensáveis para fazer um planejamento de vendas efetivo

O papel do dinheiro digital no Brasil…


Mas este cenário pode também não ser tão simples assim. Há ainda uma discussão sobre o papel da criptomoeda. Outro fator que muito se fala é como elas deverão se portar daqui pra frente, dividindo opiniões. O fato é que a criação do dinheiro digital trouxe perspectivas diferentes para o presente e futuro. Um exemplo é como transferir o dinheiro de um celular para o outro sem a intermediação de um banco. Concluindo, o dinheiro digital pode encontrar algumas barreiras como burocracias jurídicas. Por mais lentamente que seja vai mudar o mercado financeiro do nosso país.

O mundo está em constante transformação. Não deixe de seguir as nossas redes sociais e acompanhar as novidades (@Conciliadora).

Compartilhar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.