Libra e Facebook: 10 fatos principais que você precisa saber

Blog

Libra e Facebook: 10 fatos principais que você precisa saber

Libra e Facebook: 10 fatos principais que você precisa saber

No mês de junho (2019), Mark Zuckenberg anunciou mais uma novidade, Libra, a criptomoeda que poderá ser usada para realizar transações em plataformas comandadas por ele. Se trata de uma proposta ambiciosa. Cerca de 31% da população mundial não possui conta bancária. O Facebook deseja promover também a inclusão dessas pessoas. Desta forma, tudo visa uma descentralização e segurança baseada na abrangência de suas rede sociais e serviços.

Se você não sabe como fazer um bom planejamento de vendas, leia esse texto.


#Fato 1 – Quais redes sociais são essas exatamente?

A Libra poderá ser utilizada para transferências e compras entre usuários e serviços presentes no Facebook, Messenger ou WhatsApp.


#Fato 2 – É a moeda do Facebook ou não?

Libra e Facebook: 10 fatos principais que você precisa saber

Diferente do que muitos podem pensar, esta novidade não é exatamente a criptomoeda do Facebook. Apesar desta rede social ter papel fundamental na sua criação, sendo um de seus membros-fundadores — ela divide esta importância com outras empresas como a Booking, a Bison Trails, a Coinbase, o eBay, o Spotify, a Mastercard, e até o brasileiro Mercado Pago.

E tem mais.

Quem está realmente no comando de tudo é a Libra Association – entidade sem fins lucrativos e 100% independente que fica na Suíça. O Facebook não controlará totalmente a Libra sendo voto único em sua governança, assim como outros membros fundadores.

#Fato 3 – Quando chega ao mercado?

O lançamento público está previsto para o primeiro semestre de 2020. Porém, o sistema entra em fase de testes ainda neste ano. Assim a blockchain envolvida começa a funcionar com antecedência.


#Fato 4 – Quase sem volatilidade

A Libra possui características diferentes das outras criptomoedas neste quesito de volatilidade. A flutuação usual percebida nas demais não fará parte deste processo, que acontecerá sem taxas para os usuários também.


#Fato 5 – O objetivo da Libra é se tornar uma stablecoin

Libra e Facebook: 10 fatos principais que você precisa saber


Elas estão ganhando cada vez mais espaço no mercado. Mas você sabe o que é uma stablecoin? Pode-se afirmar que são ótimas para empreendedores inovadores e curiosos com grande potencial de oportunidade efetiva para os negócios.

Entenda:

Basicamente, são criptomoedas ou tokens digitais que usam o blockchain mas com o objetivo principal de manter seu valor o mais estável possível. Para o Facebook é fundamental tornar a Libra uma stablecoin, representada pelo código ≋ e lastro em moedas como o dólar, euro, a libra esterlina, o franco suíço e o iene. Tudo para sanar a volatilidade das típica criptomoedas.


#Fato 6 – Qual o impacto da Libra na forma como os pagamentos são feitos hoje

Os usuários realizarão a troca por moedas oficiais por meio de aplicativos e carteiras, como a Calibra Wallet, do próprio Facebook. As casas de câmbio tradicionais farão essa troca. Mas, além disso, a ideia é que lojas de conveniência, mercados, shoppings e centros comerciais também façam esse trabalho.

Veja que interessante!

O esperado é que as compras normais, de dia a dia, continuem sendo feitas com dinheiro. A criptomoeda deve ser uma forma mais segura quando houver o interesse em realizar transações online.

Tem um supermercado ou pequeno varejo? Então esse texto é para você.


#Fato 7 – Descentralização

Libra e Facebook: 10 fatos principais que você precisa saber


Será que nem o sistema financeiro vai ser perdoado pela globalização? Pelo visto não. O Facebook já percebeu que o dinheiro que usamos hoje não serve para o mundo todo. Famílias de países mais desenvolvidos muitas vezes não tem noção da realidade massacrante na tentativa de gerar segurança financeira em países menos desenvolvidos. Se a Libra conquistar o que veio a promover, isso pode mudar e deixar mais palpável não taxar juros altos nem impostos surreais para quem é menos favorecido.


#Fato 8 – Vindo do Facebook… E a privacidade?

O Facebook já provocou polêmicas relacionada à privacidade de dados. Por isso, se o assunto é segurança, os responsáveis já tomaram algumas estratégias essenciais. As transações incluirão somente os endereços públicos do remetente e receptor, o valor da transação e o horário e outras informações não serão visíveis. Existe também a Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD), que entrará em vigor a partir de agosto de 2020. Analisando o cenário brasileiro fica clara a importância.

A LGPD se refere exatamente às responsabilidades das entidades que detém dados pessoais de seus usuários. A dúvida que fica é se isso será realmente suficiente para o bom funcionamento de todo o processo.


#Fato 9 – Funcionamento 100% sustentável

Outro ponto diferente das criptomoedas tradicionais é o funcionamento da conversão. Quando dólar é trocado em Libras, o dinheiro vai para um fundo que mantém a tecnologia em funcionamento. Isso gera juros para os responsáveis pela tecnologia. Já quando a conversão contrária acontece, a Libra digital é destruída e o valor em moeda oficial é devolvido ao usuário.

Desta forma, os responsáveis pela moeda garantem seu funcionamento sustentável já que sempre há 100% de valores em circulação.

O que impede:

  • A possibilidade de fracionamentos;
  • Desaparecimentos de unidades;
  • Falta de fundos para devolver possíveis investimentos.


#Fato 10 Libra e a conectividade

“A Libra possui potencial para prover bilhões de pessoas ao redor do mundo com acesso a um ecossistema financeiro mais aberto e inclusivo. Nós sabemos que essa jornada está só começando, mas, juntos, podemos alcançar a missão da Libra para criar uma moeda global.” David Marcus, Facebook. Fonte desta afirmação: The Hack

E aí? O que achou? Já deu pra sentir o que o futuro nos promete?

Esta e outras informações importantes estarão sempre em nossas redes sociais. Fique de olho no @Conciliadora

Compartilhar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.